Open Site Navigation

P&D: O desafio brasileiro

Atualizado: 16 de nov.


Close em quatro bois brancos olhando para a câmera e mais uma dezena de bois ao fundo pastando.
A Agropecuária, é um dos quatro únicos setores Brasileiros que investe mais do que a média da OCDE, em pesquisa e desenvolvimento

Essa semana, uma matéria da Ana Conceição do portal Valor Econômico trouxe uma manchete que pode até parecer antiga, mas não é... a manchete diz: "Brasil fica para trás na inovação tecnológica".


Essa realidade pode mudar muito rapidamente, mas precisa de mais investimento. Enquanto no Brasil, 60% dos investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), são provenientes do estado, através das universidades públicas e institutos de pesquisa; nos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), 75% dos investimentos vêm da iniciativa privada.


Na matéria em questão, fica evidente que a mentalidade empreendedora do brasileiro é a real culpada por isso. Isso porque gráficos e dados do Instituto Brasileiro de Geografia e e Estatística (IBGE), mostram que na maioria das áreas, o Brasil fica muito aquém do esperado e do realizado por empresas de países da OCDE. Observe:

Imagem cedida pelo pesquisador do Núcleo de Economia Regional e Urbana da Universidade de São Paulo (Nereus-USP), para a reportagem do Valor Econômico.

Valor Adicionado/Acrescentado Bruto (VAB), a grosso modo, em economia é o resultado de tudo que é produzido no PIB daquele setor. Isso significa que se o setor de Informática, eletrônicos e óticos, geram, por exemplo, um bilhão para o PIB nos países da OCDE, 240 milhões são investidos em P&D nessa área, conforme aponta o percentual acima. (colaboração: Valter Pereira - Presidente do Monte Etna)


Se olhados com mais profundidade, esses números explicam por exemplo, porque o Brasil é visto como o país da inovação zero. Isso porque hoje em dia, não conseguimos criar praticamente NADA do zero, o baixo índice de inovação que criamos é na verdade uma cópia, ou adaptação de soluções e tecnologias que já foram criadas em algum lugar do mundo, ou da história. No relatório mais recente do monitor global do empreendedorismo (GEM 2018/2019), o Brasil aparece em 48º lugar com uma taxa de 3,7% de inovação. Eu poderia comparar com a taxa da Alemanha por exemplo, mas vou fazer melhor, vou comparar com a Angola por exemplo, que ficou na 37ª posição do ranking, com uma taxa de inovação de 17,8%; ou com a Argentina na 13ª posição com uma taxa de 32,2% de inovação; ou que tal Luxemburgo, o grande campeão com uma taxa de inovação de 47,9% de inovação.

Vale aqui uma ponderação, foram comparados 48 países nesse ranking, o Brasil portanto, como já é de costume, ficou em último lugar. Temos que entender que ter um app de chamar carro, ou um app de entregar comida, não é inovação, assim como alugar patinete também não é. Tudo isso já existe aos montes lá fora e quer saber, não é muito bem visto não.


Encontre o setor da sua empresa na lista da imagem e compare com o percentual da receita anual que sua empresa investiu em P&D. Se o resultado for menor do que a média do Brasil, então significa que a coisa está feia na sua empresa, e ser superado pela concorrência, será cada vez mais fácil.

Se quiser saber mais sobre P&D, e como iniciar um movimento de inovação compatível com o caixa da sua empresa, fale conosco. Podemos te ajudar!