Open Site Navigation

Melhore o desempenho da sua equipe com 5 ações que não custam nada!

Atualizado: 16 de nov.


reprodução: Banco de imagens Wix

5 ações que não custam nada, para envolver sua equipe:


Sabemos que ter uma equipe engajada, motivada e que se sinta parte da empresa é ótimo para os negócios. Porém, sabemos também que muitas empresas não dispõem de caixa sobrando para fazer um investimento constante em educação corporativa e ações de engajamento. Então aqui estão algumas possibilidades que não custam “nada”, mas melhoram em muito o envolvimento da equipe...


1 – Hora da leitura:

Algumas empresas têm se preocupado com o bem estar da equipe e colhido bons frutos com isso.

Nessa vida frenética que levamos, temos tido cada vez menos tempo para estudar, nos atualizar e relaxar. Então como manter uma equipe tranquila, atenta e preparada? Simples! Fomente na sua empresa a hora da leitura.

Sabemos que o ser humano não é produtivo em 100% do tempo e sabemos também que empresas com jornadas reduzidas conseguem manter seus funcionários mais focados durante o tempo que trabalham.

Instituir a hora da leitura, assim como temos a hora do almoço, pode ser uma boa opção.


Com a leitura permitida após a hora do almoço, é possível substituir aquele tempo improdutivo de sono e preguiça, por um tempo que permite a sua equipe se desenvolver profissionalmente, estudar e consequentemente melhorar sua performance. Bom para a equipe, bom para a empresa. (Nada de celular, é para ler, e não se distrair com redes sociais).


2 – Folgas aleatórias:

Esqueça as leis trabalhista, isso não tem nada a ver com o cumprimento da CLT. A folga aleatória é um artifício feito para melhorar a vida pessoal de sua equipe e, consequentemente, refletir essa melhora na jornada profissional.


Reuniões escolares, soluções de problemas bancários, idas ao cartório, cinema sem filas, praias desertas. Essas são algumas das coisas que só conseguimos fazer no horário comercial. Oferecer uma folga aleatória a sua equipe uma vez a cada 15 dias, pode fazer com que sua equipe trabalhe muito mais tranquila, por saberem que terão um dia inteiro livre só para resolver essas pequenas pendências cotidianas. Sabendo que não há nada que desvie mais o foco de uma pessoa, do que as preocupações pessoais, vale a pena investir nesse tipo de remédio.


3 – "Troca-troca" corporativo:

Qual empresa nunca passou por “maus bocados” quando um funcionário simplesmente sai da empresa sem aviso prévio, ou quando precisa demitir alguém e não tem ninguém para substituir aquela pessoa de imediato?


Qual empresa nunca teve conflitos entre setores? Fui comercial, sei muito bem o quanto é comum, e o quanto é ruim para a empresa esse tipo de conflito.

Para esses e outros problemas existe uma solução simples, o tal do “troca-troca corporativo”, ou simplesmente “Estágio Breve”, como preferir.

A ideia é que pelo menos a cada 3 ou 6 meses, funcionários de um determinado setor, passem por um estágio expresso de uma semana em outros setores.


Por exemplo: Um vendedor para uma semana separando mercadorias; Um assistente administrativo passa uma semana fazendo prospecção e propostas comerciais; O copeiro passa uma semana separando documentos no RH; O faxineiro uma semana no back office, e por aí vai.

Além de reduzir os conflitos entre setores, esse tipo de ação ainda possibilita que novos talentos sejam descobertos e abre a possibilidade para que os funcionários da equipe possam inclusive se reposicionar na carreira.


Mas atenção, um “troca-troca” que se preze tem que ser bem organizado, não pode colocar a empresa inteira em cargos trocados na mesma semana, tem que ser aos poucos, no máximo 15 a 20% da empresa de cada vez. Caso contrário, ao invés de resolver problemas, isso vai acabar colapsando a empresa.


4 – Escola interna:

É sabido que no mundo ideal as empresas tenham uma programação ativa de educação corporativa e que as equipes recebam constantemente treinamentos para melhorarem suas habilidades. Porém, sabemos também que nem todas as empresas dispõem de fôlego financeiro para isso.

Uma boa solução nesse caso é que os próprios funcionários, treinem seus colegas. Os temas não precisam ser mirabolantes, e nem muito tempo precisa ser desprendido para isso.

Em 40 minutos, um funcionário da logística pode explicar para a empresa inteira todos os desafios do setor, e assim a empresa aprende a controlar as expectativas dos clientes; Na semana seguinte outros 40 minutos podem servir para alguém do setor comercial explicar para a empresa, todas as características de um serviço ou produto oferecido e assim despertar o senso de oportunidade nos colegas de trabalho.


Esse é um jeito simples e barato de deixar a equipe em constante desenvolvimento.


5 – Pic-nic semanal:

Tive uma experiência em um dos bancos que trabalhei, onde nas segundas-feiras, nossa equipe se reunia durante 1 hora para um café da manhã coletivo.

Era a oportunidade perfeita para conhecer e integrar novos membros, dar avisos pertinentes a todos os setores e permitir que as pessoas colocassem a “fofoca” do final de semana em dia.

Toda aquela conversa sobre o time que ganhou ou perdeu; a festa de aniversário do filho; matéria bombástica do Fantástico; viagens etc. Eram expostas ali, e depois as pessoas iam para suas posições muito mais focadas, já que o papo já estava em dia.


Já que a conversa vai acontecer de qualquer jeito, porque não a concentrar em um horário específico e começar a semana de um jeito leve.

Um leva o pão, outro leva bolo, outro leva leite, a empresa patrocina os frios e pronto, está feita a confraternização.


Uma boa dose de criatividade pode remediar a indisponibilidade para investimentos.